Os Donos de Hollywood no Brasil Part.4

ERICA HUGGINS:  “O fato de termos atualmente mais de 50 projetos em desenvolvimento significa que cada executivo da empresa é responsável por 12 ou mais filmes a qualquer momento. A prioridade dada aos projetos muda frequentemente à medida que os roteiros chegam e o mercado se transforma. A responsabilidade de tudo isso cai em todos nós e nos faz estar em comunicação constante.  Para mim em particular, é preciso entender quando alguém precisa de ajuda para dar andamento à um projeto que parece estar estagnado, ou ainda identificar projetos certos para determinados diretores e atores. Manter relacionamentos com os estúdios, agentes e atores é também muito importante para que possamos agir com rapidez. Saber do que você gosta como um produtor ou executivo também é essencial para escolher material. É importante saber do que você gosta e porque você gosta daquilo que gosta. Todos nós precisamos vender a ideia para alguém – seja para um estúdio, um diretor, um ator ou patrocinador. Ser bem articulado e apaixonado acerca do assunto é algo que requer prática. Tendo dito isso, temos a tendência de sermos atraídos à histórias que evocam emoções. Eu acredito que o público vá ao cinema para se emocionar.

Nós queremos dar risada, chorar ou nos identificar com as personagens da história. Queremos uma experiência audio-visual também. Gostamos de ficar tensos sem saber ‘quem é o culpado’ , ou porque essa personagem é culpada para começo de conversa. Gostamos de superar obstáculos e gostamos de testemunhar pessoas ganhando força. Geralmente não é o gênero que garante poder à um filme, mas sim a emoção. Procuramos por emoção e temáticas universais. Procuramos por boas histórias. Eu acordo todos os dias e vou trabalhar por causa de Ron (Howard) e Brian (Grazer). Eles acreditam que eu tenho bom gosto para filmes, e isso já faz com que eu chegue mais perto do meu alvo. Meus melhores momentos são quando eu consigo abordar o Ron com uma nova ideia ou roteiro e acabo pegando-o desprevenido e completamente animado sobre as mesmas coisas que me animaram e motivaram sobre o projeto. Ele é apaixonado, engraçado, e eu consigo captar seu espírito no que toca as personagens e idéias. Ele pensa no todo, mas acaba realmente focando nos detalhes das personagens ou numa questão particular do plot – o que sempre exige mais de mim e me obriga a ser específica. Já a percepção que Brian tem do mundo tem me servido como uma grande lente que eu tomo emprestada para identificar os projetos que a Imagine deve produzir. Ele é capaz de utilizar assuntos como matemática, ciência, arte, música e história e dissecá-los de modo infinitesimal para criar histórias poderosas e cativantes. Eu posso apresentar um novo mundo à ele e em segundos Brian compreende absolutamente tudo de um modo sempre inteligente e novo. Já quando ele não gosta de algo, eu percebi que sempre posso re-apresentar as ideias de maneira diferente e ele irá me ouvir. Muitas vezes descobrir a maneira certa de apresentar uma ideia ao Brian é tão difícil quanto fazer um filme, mas uma vez que isso seja feito, Brian realmente se apodera do projeto.”

Para a sorte do público brasileiro, Erica Huggins esteve em São Paulo para o IV Festival de Cinema e Atuação no Latin American Film Institute que do dia 27 de Julho à 2 de Agosto de 2015.

Tristan e Amanda

TRISTAN ARONOVICH e AMANDA MAYA são atores e cineastas premiados internacionalmente. Um de seus filmes mais recentes, “Alguém Qualquer”, foi finalista para representar o Brasil no Oscar® 2016. Suas produções foram compradas e exibidas pela SONY, FOX, FX, WARNER, PARAMOUNT, TURNER, PRIME BOX BRAZIL dentre outros. Atualmente residem em Los Angeles e dirigem o Latin American Film Institute (LAFilm).

Website: http://www.cinemapro.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *